quinta-feira, 19 de junho de 2014

O POETA ANTONIO COSTTA - POR VLADIMIR CARVALHO

(Vladimir Carvalho)
A chave para entrar no mundo de simplicidade e pureza da poesia de Antonio Costta está contida no texto em prosa delicada e direta que ele próprio escreveu abrindo o seu primeiro livro: Um Juntador de Palavras (2003).

Ali ele já demonstra a sua sensibilidade para os rústicos encantos do reino de sua infância, nascido que foi no seio de uma família de humildes, mas honrados agricultores. Os apelos da terra, da natureza, e os mistérios da existência foram desde sempre motivo de encantamento para o menino e de recordação para o poeta. E tudo parece ter começado a partir do momento em que lhe narraram as circunstâncias em que ocorreu a sua chegada nesse mundo de meu Deus.

Ainda não vira a luz do dia, e a sua mãe padecia das piores dores de um parto difícil quando sua avó paterna dá entrada no recinto do quarto e propõe - a queima roupa e em versos concisos - a troca do nome da criança de Fernando, como estava estabelecido, para Antonio que era o do santo do dia:

“Menino que demora a nascer
só uma esperança lhe resta
por o nome dele Antonio
que ele nasce de pressa!”.

A mãe no auge das dores acolhe imediatamente a simpatia e mesmo arquejando responde também em versos, manifestando a sua aceitação:
 
“Se é pro menino nascer
e esse sofrimento acabar
então a partir de agora
Antonio vai se chamar!”

E o milagre se consumou: o menino saltou para a vida no maior berreiro, mas são e salvo para alegria de todos. Foi assim que Antonio veio ao mundo sob o signo da poesia e poeta haveria de ser.

E Antonio cresceu e se entendeu de gente em comunhão profunda com a paisagem a seu redor, em meio às gentes do povo, na dura faina da roça, na escola da velha palmatória, nas festas religiosas, nas procissões e nas cheias do rio Paraíba do Norte que banha a sua Pilar natal – vivendo o mesmo mundo que marcou a vida e a obra do grande José Lins do Rego, seu conterrâneo.

Foi esse repositório de sensações e lembranças que tem virado matéria prima para a produção lírica de Antonio Costta, agora acrescida da temática de fundo religioso, depois de sua conversão ao evangelho, como atestam os poemas de Poesia Cristã. Em Itabaiana, no convívio estimulante com o mestre Jessier Quirino, Teresa Queiroga, Fábio Mozart e Ricardo Aguiar, entre outros, ele segue se exercitando no aprendizado literário, sabendo como é dura a lida no trato com as palavras, porque como disse Carlos Drummnond de Andrade, “Lutar com as palavras / é a luta mais vã/ entretanto lutamos/ mal rompe a manhã”.

Esse é o seu desígnio, seu mister e galardão.
VLADIMIR CARVALHO
(Cineasta e Documentarista)
(Orlando Otávio, Vladimir Carvalho e Antonio Costta) 

ALGUNS VÍDEOS COM POEMAS DE ANTONIO COSTTA






terça-feira, 3 de junho de 2014

LIVROS DO POETA ANTONIO COSTTA PARA DOWNLOAD



 
DEZ ANOS DE POESIA

Comemorando dez anos do lançamento de seu primeiro livro "Um Juntador de Palavras" (Editora Sal da Terra - 1994), o poeta Antonio Costta resolveu disponibilizar sua produção poética em forma de e-books (livros eletrônicos em pdf) para quem desejar fazer download para ler em seu computador. Os e-books estão publicados no site do Recanto da Letras e poderão ser acessados através deste link: http://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=14685&categoria=M&lista=lidos

Antonio Costta é conhecido como o “Juntador de Palavras” e também como “Poeta da Fé”. Ele nasceu em 24 de abril de 1972 no município de Pilar-PB, terra do escritor José Lins do Rego. É filho do agricultor Severino Honorato da Silva e da dona de casa Maria José da Costa Silva, residentes no Sítio Chã de Areia, onde o ele passou toda sua infância e parte da juventude.

Atualmente o poeta tem participado de vários fóruns literários, através da internet, interagindo com escritores de várias nacionalidades, conquistando admiradores de sua poesia no Brasil e no exterior, a exemplo do poeta e escritor espanhol Cristino Vidal Benavente, que tem escrito para vários de seus livros.


Antonio Costta é o autor da letra do Hino Oficial de Pilar e de cinco livros de poesias: Um Juntador de Palavras (2004); Poesia Nordestina (2004); Coletânea Poética (2009) Chuva de Poesias (2011) e Lira dos Quarenta Anos (2012). Atualmente está preparando uma antologia poética,
intitulada "O Poder do Amor", em parceria com quatros poetas estrangeiros: Maria Petronilho (Portugal), Alma Velazquez de la Mora (México), Cristino Vidal Benavente (Espanha) e Teresa Ovejero de Vinciguerra (Argentina). Costta também está preparando outro livro de crônicas e poesias sobre a sua terra natal, intitulado "Pilar em Prosa e Verso".

ALGUNS VÍDEOS COM POEMAS DE ANTONIO COSTTA 












segunda-feira, 2 de junho de 2014

Semana Cultural José Lins do Rego em Pilar e Itabaiana

   

Um dos eventos mais importantes promovidos pela Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), a Semana Cultural José Lins do Rego, ganha novo formato em sua 32ª edição. Neste ano, as atividades do evento educativo serão realizadas na cidade Pilar (terra natal do escritor paraibano autor de obras como “Menino de Engenho”) e também em Itabaiana. De 8 a 11 de junho, serão oferecidas nesses dois municípios oficinas de diversos segmentos artísticos, performances e espetáculos de teatro, dança, música, artes visuais e literatura. Neste ano, as atividades saem da capital paraibana e vão ocorrer de maneira descentralizada, com o intuito de ocupar vários espaços desses municípios, como praças, escolas e outros locais que se tornarão palco para o evento. A programação começa no domingo (8) com oficinas apenas na cidade Itabaiana. Nos dias seguintes, 9, 10 e 11, as atividades são realizadas nos dois municípios.

clique: veja álbum de fotos do Engenho Corredor

O presidente da Funesc, Lau Siqueira, justifica a escolha das duas cidades. “A Décima Segunda Região do Orçamento Democrático, com sede em Itabaiana, apontou a cultura entre as suas três prioridades para este ano. Por esta razão, estamos atendendo à reivindicação do OD e da Articulação Regional da Secult e desenvolvendo algumas ações que atendam essa demanda. A Semana Zé Lins é uma dessas ações. Aproveitamos o fato de José Lins do Rego ter nascido em Pilar, um dos municípios da região, e ter estudado em Itabaiana, outro município da Região. Zé Lins estudou numa escola, cujo prédio hoje abriga uma das maiores referências de resistência cultural da Paraíba, o Ponto de Cultura Cantiga de Ninar. Da mesma forma, seguimos no nosso propósito de descentralizar as ações, dialogando permanentemente com o interior do Estado. Algo que deveremos intensificar quando tivermos novamente o Espaço Cultural como lugar privilegiado para esse diálogo”. A programação conta com sete oficinas: dança, circo, grafite, mídias móveis, teatro, criação artística, e oficina de aquarela com café. A agenda de apresentações e performances ficará por conta de grupos e artistas paraibanos de diferentes estilos e segmentos artísticos, como cortejos de cultura popular, recital de poesia, espetáculos infantis e shows. Em Pilar, o público também poderá conferir a exibição de filmes de curta-metragem. Outro destaque da Semana Cultural é o lançamento do edital do 3º Salão Nacional de Humor José Lins do Rego, que ocorre no dia 10 de junho, em Pilar. Diferentemente das edições passadas, neste ano os candidatos poderão inscrever trabalhos artísticos nas categorias cartum, charge, tira, HQ (uma página) e caricatura, nas linguagens: desenho, pintura e colagem, inspirados na vida ou obra de quaisquer autores de reconhecido talento no meio nacional. Vinte obras serão selecionadas para participar da exposição e três delas serão premiadas pelo concurso. 

http://sphotos-b.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash4/250631_361307000590814_1220630393_n.jpg

HINO OFICIAL DE PILAR- cantado por José Cosmo de Souza

HINO OFICIAL DE PILAR - cantado por Jordânia Borges