terça-feira, 22 de julho de 2014

Vem aí o 1º Concurso Municipal de Poesia de Pilar

sexta-feira, 4 de julho de 2014

PILAR NO ROTEIRO DA LITERATURA

A terra do menino de engenho, o romancista, cronista e ensaísta José Lins do Rego, imortal da Academia Brasileira de Letras, prepara-se para realizar a FLIPI - 1ª feira Literária de Pilar, através da Secretaria Municipal de Educação e Cultura. O evento, que será coordenado pelo poeta Antonio Costta, está previsto para o mês de outubro deste ano e em breve será divulgada toda a programação através do blog: http://flipipilar.blogspot.com.br/

A FLIPI homenageará em sua 1ª edição o escritor e poeta Damião Ramos Cavalcanti, presidente da Academia Paraibana de Letras e da Fundação Casa de José Américo. Damião nasceu em Pilar e tem desenvolvido um brilhante trabalho em defesa da cultura paraibana, o que é motivo de orgulho para os pilarenses.
(Poeta Damião Ramos Cavalcanti)
RESUMO BIOGRÁFICO

Damião Ramos Cavalcanti, nascido na cidade de Pilar - PB, terra do escritor e romancista José Lins do Rego. Passou parte da sua infância em Itabaiana, quando, com seus 11 anos, foi estudar na cidade de João Pessoa, onde reside até hoje. Em 1966, viajou à Itália, onde, em Roma, realizou seus estudos de graduação e pós-graduação em Filosofia; em Paris, posgraduou-se em Sociologia da Educação pela Sorbonne, de 1978 a 1983. Professor da Universidade Federal da Paraíba, desde 1973, onde prestou uma larga folha de serviço como docente e dirigente. Participou da criação da UEPB em Guarabira, da UNIPÊ e da FESP em João Pessoa. Hoje, dedica-se a escrever seus livros, como membro da Ordem dos Advogados do Brasil - OAB; da Academia Paraibana de Cinema - APC; da Associação Paraibana de Imprensa - API e da Academia Paraibana de Filosofia - APF. É advogado, escritor, poeta, cronista e Presidente da Academia Paraibana de Letras - APL e da Fundação Casa de José Américo.

quinta-feira, 3 de julho de 2014

EM OUTUBRO ACONTECERÁ A FLIPI - 1ª FEIRA LITERÁRIA DE PILAR

 

Já foi definida em reunião ontem pela manhã (dia 02) com a secretária de educação de Pilar, Marcilene Sales, coordenadores de educação e o poeta Antonio Costta, a realização da 1ª Feira Literária de Pilar (FLIPI), para o mês de outubro de 2014.

Foi decidido também, como um dos pontos altos dessa Feira Literária, a realização do primeiro concurso municipal de poesia, com os alunos do 4º ao 9º ano, e o lançamento de uma coletânea poética com os melhores poemas dos alunos participantes, como forma de incentivar a produção literária na terra do inesquecível menino de engenho.




 

Ao tomar conhecimento do projeto de realização da FLIPI, o presidente da Academia Paraibana de Letras e da Fundação Casa de José Américo, o poeta Damião Ramos Cavalcanti, assim se expressou: "Exulto tão brilhante e memorável iniciativa, também exulta José Lins do Rêgo, nosso imortal paraibano, esse júbilo. Associo-me a todos os esforços para que essa FLIPI seja tão bela e importante como a FLIBO de Boqueirão, e venha ser internacional como a Fliporto em Pernambuco e a de Parati no Rio de Janeiro. Conte com a Academia Paraibana de Letras e com a Fundação Casa de José Américo como parceiras. Com certeza, Lau Siqueira, nosso estimado Presidente do Espaço Cultural José Lins do Rego (FUNESC), cujas importantes obras do Governo do Estado estarão sendo inauguradas amanhã, também se encherá de semelhante entusiasmo. E viva Pilar, amada terra de José Lins do Rego!"

(Reunião com técnicos de educação, a secretária Marcilene Sales e o poeta Antonio Costta, para definir a realização da FLIPI)

Em breve estaremos divulgando mais informações sobre a programação desse grande evento literário que certamente marcará a história cultural da nossa querida Pilar.

Antonio Costta - coordenador da FLIPI

quinta-feira, 19 de junho de 2014

O POETA ANTONIO COSTTA - POR VLADIMIR CARVALHO

(Vladimir Carvalho)
A chave para entrar no mundo de simplicidade e pureza da poesia de Antonio Costta está contida no texto em prosa delicada e direta que ele próprio escreveu abrindo o seu primeiro livro: Um Juntador de Palavras (2003).

Ali ele já demonstra a sua sensibilidade para os rústicos encantos do reino de sua infância, nascido que foi no seio de uma família de humildes, mas honrados agricultores. Os apelos da terra, da natureza, e os mistérios da existência foram desde sempre motivo de encantamento para o menino e de recordação para o poeta. E tudo parece ter começado a partir do momento em que lhe narraram as circunstâncias em que ocorreu a sua chegada nesse mundo de meu Deus.

Ainda não vira a luz do dia, e a sua mãe padecia das piores dores de um parto difícil quando sua avó paterna dá entrada no recinto do quarto e propõe - a queima roupa e em versos concisos - a troca do nome da criança de Fernando, como estava estabelecido, para Antonio que era o do santo do dia:

“Menino que demora a nascer
só uma esperança lhe resta
por o nome dele Antonio
que ele nasce de pressa!”.

A mãe no auge das dores acolhe imediatamente a simpatia e mesmo arquejando responde também em versos, manifestando a sua aceitação:
 
“Se é pro menino nascer
e esse sofrimento acabar
então a partir de agora
Antonio vai se chamar!”

E o milagre se consumou: o menino saltou para a vida no maior berreiro, mas são e salvo para alegria de todos. Foi assim que Antonio veio ao mundo sob o signo da poesia e poeta haveria de ser.

E Antonio cresceu e se entendeu de gente em comunhão profunda com a paisagem a seu redor, em meio às gentes do povo, na dura faina da roça, na escola da velha palmatória, nas festas religiosas, nas procissões e nas cheias do rio Paraíba do Norte que banha a sua Pilar natal – vivendo o mesmo mundo que marcou a vida e a obra do grande José Lins do Rego, seu conterrâneo.

Foi esse repositório de sensações e lembranças que tem virado matéria prima para a produção lírica de Antonio Costta, agora acrescida da temática de fundo religioso, depois de sua conversão ao evangelho, como atestam os poemas de Poesia Cristã. Em Itabaiana, no convívio estimulante com o mestre Jessier Quirino, Teresa Queiroga, Fábio Mozart e Ricardo Aguiar, entre outros, ele segue se exercitando no aprendizado literário, sabendo como é dura a lida no trato com as palavras, porque como disse Carlos Drummnond de Andrade, “Lutar com as palavras / é a luta mais vã/ entretanto lutamos/ mal rompe a manhã”.

Esse é o seu desígnio, seu mister e galardão.
VLADIMIR CARVALHO
(Cineasta e Documentarista)
(Orlando Otávio, Vladimir Carvalho e Antonio Costta) 

ALGUNS VÍDEOS COM POEMAS DE ANTONIO COSTTA






terça-feira, 3 de junho de 2014

LIVROS DO POETA ANTONIO COSTTA PARA DOWNLOAD



 
DEZ ANOS DE POESIA

Comemorando dez anos do lançamento de seu primeiro livro "Um Juntador de Palavras" (Editora Sal da Terra - 1994), o poeta Antonio Costta resolveu disponibilizar sua produção poética em forma de e-books (livros eletrônicos em pdf) para quem desejar fazer download para ler em seu computador. Os e-books estão publicados no site do Recanto da Letras e poderão ser acessados através deste link: http://www.recantodasletras.com.br/autor_textos.php?id=14685&categoria=M&lista=lidos

Antonio Costta é conhecido como o “Juntador de Palavras” e também como “Poeta da Fé”. Ele nasceu em 24 de abril de 1972 no município de Pilar-PB, terra do escritor José Lins do Rego. É filho do agricultor Severino Honorato da Silva e da dona de casa Maria José da Costa Silva, residentes no Sítio Chã de Areia, onde o ele passou toda sua infância e parte da juventude.

Atualmente o poeta tem participado de vários fóruns literários, através da internet, interagindo com escritores de várias nacionalidades, conquistando admiradores de sua poesia no Brasil e no exterior, a exemplo do poeta e escritor espanhol Cristino Vidal Benavente, que tem escrito para vários de seus livros.


Antonio Costta é o autor da letra do Hino Oficial de Pilar e de cinco livros de poesias: Um Juntador de Palavras (2004); Poesia Nordestina (2004); Coletânea Poética (2009) Chuva de Poesias (2011) e Lira dos Quarenta Anos (2012). Atualmente está preparando uma antologia poética,
intitulada "O Poder do Amor", em parceria com quatros poetas estrangeiros: Maria Petronilho (Portugal), Alma Velazquez de la Mora (México), Cristino Vidal Benavente (Espanha) e Teresa Ovejero de Vinciguerra (Argentina). Costta também está preparando outro livro de crônicas e poesias sobre a sua terra natal, intitulado "Pilar em Prosa e Verso".

ALGUNS VÍDEOS COM POEMAS DE ANTONIO COSTTA 












segunda-feira, 2 de junho de 2014

Semana Cultural José Lins do Rego em Pilar e Itabaiana

   

Um dos eventos mais importantes promovidos pela Fundação Espaço Cultural da Paraíba (Funesc), a Semana Cultural José Lins do Rego, ganha novo formato em sua 32ª edição. Neste ano, as atividades do evento educativo serão realizadas na cidade Pilar (terra natal do escritor paraibano autor de obras como “Menino de Engenho”) e também em Itabaiana. De 8 a 11 de junho, serão oferecidas nesses dois municípios oficinas de diversos segmentos artísticos, performances e espetáculos de teatro, dança, música, artes visuais e literatura. Neste ano, as atividades saem da capital paraibana e vão ocorrer de maneira descentralizada, com o intuito de ocupar vários espaços desses municípios, como praças, escolas e outros locais que se tornarão palco para o evento. A programação começa no domingo (8) com oficinas apenas na cidade Itabaiana. Nos dias seguintes, 9, 10 e 11, as atividades são realizadas nos dois municípios.

clique: veja álbum de fotos do Engenho Corredor

O presidente da Funesc, Lau Siqueira, justifica a escolha das duas cidades. “A Décima Segunda Região do Orçamento Democrático, com sede em Itabaiana, apontou a cultura entre as suas três prioridades para este ano. Por esta razão, estamos atendendo à reivindicação do OD e da Articulação Regional da Secult e desenvolvendo algumas ações que atendam essa demanda. A Semana Zé Lins é uma dessas ações. Aproveitamos o fato de José Lins do Rego ter nascido em Pilar, um dos municípios da região, e ter estudado em Itabaiana, outro município da Região. Zé Lins estudou numa escola, cujo prédio hoje abriga uma das maiores referências de resistência cultural da Paraíba, o Ponto de Cultura Cantiga de Ninar. Da mesma forma, seguimos no nosso propósito de descentralizar as ações, dialogando permanentemente com o interior do Estado. Algo que deveremos intensificar quando tivermos novamente o Espaço Cultural como lugar privilegiado para esse diálogo”. A programação conta com sete oficinas: dança, circo, grafite, mídias móveis, teatro, criação artística, e oficina de aquarela com café. A agenda de apresentações e performances ficará por conta de grupos e artistas paraibanos de diferentes estilos e segmentos artísticos, como cortejos de cultura popular, recital de poesia, espetáculos infantis e shows. Em Pilar, o público também poderá conferir a exibição de filmes de curta-metragem. Outro destaque da Semana Cultural é o lançamento do edital do 3º Salão Nacional de Humor José Lins do Rego, que ocorre no dia 10 de junho, em Pilar. Diferentemente das edições passadas, neste ano os candidatos poderão inscrever trabalhos artísticos nas categorias cartum, charge, tira, HQ (uma página) e caricatura, nas linguagens: desenho, pintura e colagem, inspirados na vida ou obra de quaisquer autores de reconhecido talento no meio nacional. Vinte obras serão selecionadas para participar da exposição e três delas serão premiadas pelo concurso. 

http://sphotos-b.ak.fbcdn.net/hphotos-ak-ash4/250631_361307000590814_1220630393_n.jpg

quarta-feira, 7 de maio de 2014

Escritor pilarense Damião Cavalcanti toma posse na Fundação Casa de José Américo

Damião Cavalcanti toma posse na 
Fundação Casa de José Américo

 O presidente da Fundação Casa de José Américo, professor Damião Ramos Cavalcanti, reuniu os funcionários da Instituição para formalmente tomar posse e dar posse à secretária executiva, Rejane Mayer Ventura, na manhã desta terça-feira. Nomeado pelo governador Ricardo Coutinho, dia 4 de abril, porém ao longo deste período, Damião tem se empenhando na organização da Instituição, que passa por ampla reforma física, e que deverá ser re-inaugurada em breve. 
        Durante a reunião, que aconteceu no Auditório, o professor Damião destacou a filosofia e diretrizes de sua gestão. Ressaltou a importância do trabalho do servidor público e incentivou os funcionários para o engajamento da missão institucional, que é a preservação e o cultivo da memória do patrono, José Américo de Almeida, além da cultura paraibana. 
        A reunião foi prestigiada por todos os funcionários. Estão mantidos todos os ocupantes dos cargos de direção, que integraram a composição da mesa com o presidente e secretária executiva. 

Fátima Farias – Assessoria de Imprensa da FCJA

O presidente da Fundação Casa de José Américo, professor Damião Ramos Cavalcanti, reuniu os funcionários da Instituição para formalmente tomar posse e dar posse à secretária executiva, Rejane Mayer Ventura, na manhã desta terça-feira. Nomeado pelo governador Ricardo Coutinho, dia 4 de abril, porém ao longo deste período, Damião tem se empenhando na organização da Instituição, que passa por ampla reforma física, e que deverá ser re-inaugurada em breve. 

Durante a reunião, que aconteceu no Auditório, o professor Damião destacou a filosofia e diretrizes de sua gestão. Ressaltou a importância do trabalho do servidor público e incentivou os funcionários para o engajamento da missão institucional, que é a preservação e o cultivo da memória do patrono, José Américo de Almeida, além da cultura paraibana. 


A reunião foi prestigiada por todos os funcionários. Estão mantidos todos os ocupantes dos cargos de direção, que integraram a composição da mesa com o presidente e secretária executiva. 

Fátima Farias – Assessoria de Imprensa da FCJA

sábado, 19 de abril de 2014

A PROPAGANDA É BONITA, MAS A REALIDADE...



A rodovia PB-048, trecho Pilar/Juripiranga – um total de 13 km de estrada ligando os estados da Paraíba e Pernambuco, está para ser inaugura pelo governo do Estado da Paraíba. Pena que a obra é de baixa qualidade. Nem inaugurou ainda e já está com vários buracos, precisando de restauração em vários trechos. E vergonhoso como as empreiteiras economizam em material para, por certo, sobrar dinheiro. Quantos anos de garantia tem um asfalto desse se nem inaugurado foi ainda e já está se deteriorando? Nos Estados Unidos é de 50 anos a garantia e aqui na Paraíba de quantos anos será?... Fica a indagação.

É salutar provocar o debate. Não estou declarando meu voto a nenhum candidato a governador. Estou apenas exercendo meu direito de cidadão, de questionar o período de garantia de um asfalto que é construído com o dinheiro do povo. Se estão pagando o asfalto com o nosso dinheiro angariado em impostos, então que o façam bem feito. Chega de maquiagem, chega de ilusões!

Antonio Costta. 


quarta-feira, 9 de abril de 2014

Um lixão aos pés da Santa ( texto: Frutuoso Chaves)

PASME-SE - A Lei 12.305, que obriga os municípios brasileiros ao tratamento do lixo nosso de cada dia, entra em vigor pleno no início deste agosto que já se aproxima. Contudo, mais de 90% das Prefeituras sequer dão conta da primeira fase desse processo: a elaboração do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. O fato deu-me o tema do editorial que produzi para o Jornal da Paraíba, edição de hoje.
Aos pés da Santa

Um lixão cresce nas proximidades do Monumento a Nossa Senhora da Conceição, na histórica e pequena Pilar. Situa-se ao lado da estrada que a morosidade governamental, a passos de tartaruga, recobre de asfalto até a vizinha Juripiranga. A conclusão desta obra interligará a malha asfáltica da Paraíba à de Pernambuco, por mais este ponto, em benefício daquilo que o sociólogo Odilon Ribeiro Coutinho tinha como “área de profunda evocação lírica e histórica”.

Referia-se ele, desse modo, ao Mundo de José Lins do Rego – com seus engenhos de fogo morto – e, ainda, às capelas de Cruz do Espírito Santo datadas do período da invasão holandesa. O lixão, portanto, enfeia e agride um corredor que poderá ser aberto ao turismo cultural se a indolência e o desleixo não o sepultarem no nascedouro para desgraça da população carente de emprego e renda.


Neste País de tantos credos, a liberdade religiosa talvez faça o lixão de Pilar menos danoso aos Céus e, mais, aos homens de boa vontade. Contudo, não menos agressivo à saúde pública e ofensivo à legislação que rege a matéria.


Pois bem, expira-se em 2 de agosto o prazo estabelecido pela Lei 12.305, sancionada em 2010, para a extinção dos lixões nossos de cada dia. Passado todo esse tempo, menos de 10% dos municípios brasileiros cumpriram a primeira etapa do processo: a elaboração do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos que, aliás, teve o prazo vencido em 2012.


Entre outras coisas, a iniciativa serviria à definição de regras para coleta, transporte e manejo do lixo, diagnosticar situações e verificar a possibilidade de consórcios entre Prefeituras a fim de que tudo seja feito de forma a não prejudicar a saúde das pessoas e a do meio ambiente. Em suma, o tratamento adequado do problema exige mais do que aterros sanitários.


Que esperança se deve ter quanto à consecução dessas providências até agosto? Nenhuma, a julgar pelos monturos que em Pilar se avolumam a poucos metros do Monumento que, embora consagrado à Santa, foi erigido em 1899 para receber o Século 20. Na Paraíba, 204 Prefeituras sequer promoveram a regulamentação dos seus planos de gestão dos resíduos sólidos. Já foi dito que todas responderão por isso ao Tribunal de Contas do Estado quando da prestação das contas do exercício de 2013. Pelo menos, isso.

PASME-SE - A Lei 12.305, que obriga os municípios brasileiros ao tratamento do lixo nosso de cada dia, entra em vigor pleno no início deste agosto que já se aproxima. Contudo, mais de 90% das Prefeituras sequer dão conta da primeira fase desse processo: a elaboração do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos. O fato deu-me o tema do editorial que produzi para o Jornal da Paraíba, edição de hoje.

Aos pés da Santa

Um lixão cresce nas proximidades do Monumento a Nossa Senhora da Conceição, na histórica e pequena Pilar. Situa-se ao lado da estrada que a morosidade governamental, a passos de tartaruga, recobre de asfalto até a vizinha Juripiranga. A conclusão desta obra interligará a malha asfáltica da Paraíba à de Pernambuco, por mais este ponto, em benefício daquilo que o sociólogo Odilon Ribeiro Coutinho tinha como “área de profunda evocação lírica e histórica”.
Referia-se ele, desse modo, ao Mundo de José Lins do Rego – com seus engenhos de fogo morto – e, ainda, às capelas de Cruz do Espírito Santo datadas do período da invasão holandesa. O lixão, portanto, enfeia e agride um corredor que poderá ser aberto ao turismo cultural se a indolência e o desleixo não o sepultarem no nascedouro para desgraça da população carente de emprego e renda.
Neste País de tantos credos, a liberdade religiosa talvez faça o lixão de Pilar menos danoso aos Céus e, mais, aos homens de boa vontade. Contudo, não menos agressivo à saúde pública e ofensivo à legislação que rege a matéria.
Pois bem, expira-se em 2 de agosto o prazo estabelecido pela Lei 12.305, sancionada em 2010, para a extinção dos lixões nossos de cada dia. Passado todo esse tempo, menos de 10% dos municípios brasileiros cumpriram a primeira etapa do processo: a elaboração do Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos que, aliás, teve o prazo vencido em 2012.
Entre outras coisas, a iniciativa serviria à definição de regras para coleta, transporte e manejo do lixo, diagnosticar situações e verificar a possibilidade de consórcios entre Prefeituras a fim de que tudo seja feito de forma a não prejudicar a saúde das pessoas e a do meio ambiente. Em suma, o tratamento adequado do problema exige mais do que aterros sanitários.
Que esperança se deve ter quanto à consecução dessas providências até agosto?  Nenhuma, a julgar pelos monturos que em Pilar se avolumam a poucos metros do Monumento que, embora consagrado à Santa, foi erigido em 1899 para receber o Século 20. Na Paraíba, 204 Prefeituras sequer promoveram a regulamentação dos seus planos de gestão dos resíduos sólidos. Já foi dito que todas responderão por isso ao Tribunal de Contas do Estado quando da prestação das contas do exercício de 2013. Pelo menos, isso.

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

FRUTUOSO CHAVES – UM JORNALISTA QUE HONRA AS NOSSAS TRADIÇÕES


 

Frutuoso Chaves é um jornalista profissional que carrega Pilar em seu coração. Foi Chefe de Reportagem do Jornal "A União", Redator do "Correio da Paraíba", Repórter de "O Globo" do Rio de Janeiro e do "Jornal do Comercio" do Recife, Editor do Jornal "O Norte" e Diretor de Redação da Revista "A Carta". Atualmente, escreve, também, os editoriais do "Jornal da Paraíba".

Segundo o jornalista paraibano Tião Lucena, “o velho Frutuoso Chaves [é] mestre de uma geração inteira de jornalistas paraibanos, que tem talento de sobra, para dar, vender e emprestar e que ainda assim não gosta de aparecer. Frutuoso, meu primeiro chefe de reportagem, o que me ensinou o que era um lead, um intertítulo, um monte de coisas que se faz em jornal, não desgruda do batente. Encontrei-o hoje, pelo telefone, a mesma fala de sempre, o mesmo jeito desengonçado lá do Pilar de suas infâncias e a mesma autenticidade dos idos e vividos anos de 75 em diante. Matei saudades, velho Frutu, velho mestre, grande amigo.”

Assim Frutuoso Chaves se auto-definiu:


“Sou um operário da notícia sem muitos méritos e com dificuldade, agora mesmo, de conseguir a foto que você me pede para ilustrar, vamos dizer assim, essa entrevista. Acho que optei pelo jornalismo aos onze anos de idade, ainda sem muita consciência disso. Tinha saído de Pilar a fim de estudar no Recife. Os tios, com os quais vivia, costumavam comprar a revista O Cruzeiro. Pois bem, folheando um desses exemplares, surpreendi-me com fotografias de Pilar, algumas em meia página. A saudade de casa apertou e fui ler o texto. O repórter, de quem não guardei o nome, tratava do mundo de José Lins do Rego. Reconheci pessoas e paisagens de cuja importância histórica e cultural somente então eu me dava conta. A descrição daquilo tudo me encantou. “Quando crescer, vou escrever para jornal”, pensei com os meus botões. Ô boca de praga.”

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Faleceu ontem o comunicador Benjamim Felipe, da Difusora Verdes Mares



Vítima de complicações pós operatórias, veio a falecer na noite desta segunda-feira o comunicador e técnico em eletrônica Benjamim Felipe de Oliveira (foto), fundador da Rádio Difusora Verdes Mares, na cidade de Pilar. Muito querido por toda comunidade, Benjamim será sepultado hoje, (12) em clima de grande comoção.

A Difusora Verdes Mares completou 17 anos de existência no mês de setembro de 2013, tendo Benjamim como idealizador, na cidade de Pilar, no agreste paraibano. A Difusora realiza um trabalho de comunicação social de grande importância para a pequena cidade, anunciando o comércio local, achados e perdidos, divulgando programas religiosos e informes de utilidade pública, além de realizar campanhas sociais como arrecadação de roupas e alimentos para famílias carentes da comunidade.

Com o falecimento de Benjamim, sua filha Elizabeth Viana deverá continuar o trabalho de comunicação comunitária que foi o sonho do pai, o qual, nos últimos anos, vinha lutando para transformar sua difusora em rádio FM.

A Difusora Verdes Mares, futura rádio comunitária de Pilar, entrou para para a rede de rádios e serviços de som que retransmitem o programa “Alô comunidade”, da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares, produzido nos estúdios da Rádio Tabajara da Paraíba AM. “Nossas condolências à família do companheiro Benjamim, um lutador pela comunicação comunitária em Pilar”, afirmou o radialista Fábio Mozart, da Rádio Comunitária Zumbi dos Palmares.

quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Prefeita retoma cargo após licença para tratamento de saúde

A prefeita de Pilar, Virgínia Ribeiro (foto), retorna hoje (29) ao cargo
após licença para tratamento de saúde. Para marcar o retorno, a prefeitura convocou
servidores da Secretaria de Saúde do Município que estarão às 9 horas no Espaço
Social, antigo Pilar Clube, para recepcionar a prefeita que receberá o cargo do
vice, Eduardo Silva.

A convocação dos servidores foi feita pelo Secretário de Saúde,
Josemar Ferreira, que convidou o violonista Vital Alves para tocar na
solenidade que tornará oficial a volta da prefeita.

Espera-se a presença da deputada estadual Daniela Ribeiro, filha
da prefeita Virgínia Ribeiro, e de todo o secretariado. Aliás, em Pilar a
prefeita apoiará os dois filhos deputados, já que para federal ela pedirá votos
para o atual Ministro das Cidades, Agnaldo Ribeiro.

A administração da prefeita Virgínia Veloso não vem sendo bem
avaliada pela população de Pilar, segundo comentário de uma servidora que prefere
ficar no anonimato. “Esse evento é mais uma promoção política, eu acho ridículo
se perder um dia de serviço para bater palmas para a prefeita que apenas retoma
seu trabalho, o que é obrigação”, disse a servidora.

:


sábado, 9 de novembro de 2013

LOCUTOR DA REDE GLOBO GRAVA POEMAS DE ANTONIO COSTTA


O grande locutor da Rede Globo Nordeste de televisão: Jô Santos, residente em Olinda-PE, gravou dezenove sonetos do poeta paraibano Antonio Costta e já pediu autorização para gravar toda a sua obra. Por e-mail ele assim agradeceu ao poeta pilarense, radicado em Itabaiana, por ter autorizado a gravação de seus poemas: “Muito obrigado, em nome da humanidade, por nos deixar usufruir da sua obra ma-ra-vi-lho-sa!... Que Deus, na sua santa majestade, continue te abençoando para que novas pérolas de suas palavras se retratem em suas belíssimas poesias.”

Jô Santos, que há treze anos trabalha para Rede Globo Nordeste, pretende juntamente com o poeta Antonio Costta, lançar um cd com mensagens de fé e de amor que poderá ser utilizado em programas de rádios de todo país, sendo também disponibilizado para downloads na internet pelo site: http://www.suamusica.com.br/#!/buscar.php?termo=poema gospel&sort=0.

Antonio Costta é autor de cinco livros de poesias e está organizando uma nova coletânea poética denominada “O Poder do Amor”, em co-autoria com mais quatro poetas estrangeiros: Maria Petronilho (Portugal), Alma Velásquez de La Mora (México), Cristino Vidal Benavente (Espanha) e Tereza Ovejero de Vinciguerra (Argentina). O livro está em fase de revisão e o lançamento está previsto para o início de 2014.

Segundo o poeta Rubenio Marcelo, membro e secretário-geral da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras, as poesias de Antonio “encadeiam ação e sentimento de maneira fluente e clara, num vibrante contexto de fé, de esperança e de amor (a sua lira afina-se com os ideais da virtude).”

Conheçam neste link os primeiros sonetos de Antonio Costta interpretados por Jô Santos: http://www.youtube.com/watch?v=JFNPPOOAoUk

segunda-feira, 4 de novembro de 2013

Soneto do poeta Antonio Costta foi escolhido por alunos de Portugal


Um soneto do poeta Antonio Costta foi escolhido por alunos de Portugal, para participar de uma feira de arte em uma instalação denominada “Pássaros e Liberdade”. O evento foi realizado e divulgado em março deste ano no site da Universidade Católica Portuguesa, como consta neste link: http://www.eacfacfil.net/?p=4621.

PassaroseLiberdade2 A instalação “Pássaros e Liberdade” surgiu com o intuito de celebrar o início da primavera e de promover a reflexão sobre a liberdade no mundo de hoje.
A instalação foi montada pelo núcleo de estágio no dia 2 de março de 2013. A realização desta atividade coincidiu com a realização da Conferência “Educar para a Ética no Desporto”, organizada pela escola e pela Capital Europeia do Desporto – Guimarães 2013. Esta Conferência teve lugar no dia 07 de março, com a participação de entidades oficiais exteriores à escola – o Secretário de Estado do Desporto e o Presidente da Câmara Municipal de Guimarães, que puderam, assim, apreciar o trabalho exposto no átrio da escola.
Foi colocado, na parte lateral do trabalho, o poema “Soneto do Pássaro” de António Costta:

Como é belo um pássaro em liberdade
Voando pelos campos bem cedinho;
Ou no galho d’árvore fazendo um ninho,
Cantando de tanta felicidade!…

Como é belo o gozar da liberdade!
E como é triste o mesmo passarinho
Numa gaiola longe do seu ninho
Cantando só por causa da saudade!

Mas o homem ao perder a liberdade
Não suporta a grande fatalidade
E contrata logo um bom advogado!…

Porém se ele for pobre, pobrezinho…
Como aquele coitado passarinho
Passará a vida inteira engaiolado!

(in PÁSSAROS, Poemas de António Costta, Edição e arte de Sammis Reachers)

Atualmente Antonio Costta está finalizando um novo livro intitulado “O Poder do Amor”. Esse livro é uma coletânea poética que ele está escrevendo em parceria com mais quatro poetas estrangeiros: Maria Petronilho (Portugal), Alma Velásquez de la Mora (México), Cristino Vidal Benavente (Espanha) e Teresa Ovejero de Vinciguerra (Argentina), com previsão de lançamento para início de 2014. “Estamos participando com aproximadamente 30 poemas cada um, falando do maior de todos os sentimentos: o Amor. Nunca organizar um livro me deu tanto prazer como este!”, disse Costta.
Segundo escreveu o poeta e jornalista Fábio Mozart “Costta revela-se um trabalhador da poesia, e mais, um verdadeiro embaixador das nossas melhores letras, fomentando relações culturais com diversos países da América Latina e Europa. Admiro a capacidade incomum desse poeta de resistir ao descaso com que se tratam as artes na província em que vive. Sua fecunda e atilada imaginação, aliada ao desejo de propagar sua obra, acabam por estimular aventuras literárias como esta.”



(Contracapa do livro O Poder do Amor)

quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Ricardo Coutinho autoriza obras de estrada que liga Pedras de Fogo à BR 230




O governador Ricardo Coutinho assina, ainda na manhã desta quinta-feira (17), a ordem de serviço para pavimentação da PB-030, ligando o entroncamento da BR-230 a Pedras de Fogo. O trecho de 28,2 km beneficia diretamente o município de Pedras de Fogo, e integra a programação de obras do Programa Caminhos da Paraíba. Na mesma solenidade Ricardo também autoriza a construção da Escola Estadual João Úrsulo.

Esta será a 65ª ordem de serviço do atual governo estadual no setor rodoviário, com um investimento de R$16.972.143,76, em recursos próprios, contemplando uma população de 20.088 habitantes do município de Pedras de Fogo. A rodovia será uma opção para quem se desloca de Recife e outras cidades para Campina Grande por Pedras de Fogo até a BR-230 sem passar por João Pessoa e vice-versa, reduzindo assim o percurso em cerca de 20 km.

O tráfego médio diário na rodovia é de 659 veículos entre automóveis, camionetas, ônibus, caminhões e motos. A construtora Agra Ltda vai executar a obra. Serão realizados serviços de terraplenagem em cortes e aterros, pavimentação em concreto betuminoso, bueiros, sistema de drenagem profunda e superficial para águas pluviais subterrâneas, cercas de segurança da faixa de domínio, paisagismos em taludes e sinalização horizontal e vertical.

Associação dos Agentes Comunitários de PILAR enviará representante para acompanhar processo de votação de PL em Brasília


Ocorrerá na próxima semana 23/outubro, a votação da PL que trata do piso salarial dos Agentes comunitários de saúde e Agente de combate as endemias de todo o Brasil.

Em sua maioria os Sr.Deputados acham de fundamental importância a votação do PL 7495/06 que regulamenta a EC 63/2010 que representa a implantação do PISO SALARIAL NACIONAL. O QUE FICA GARANTIDO COM A APROVAÇÃO DO PL 7495/06: Assegura em Lei o repasse do recurso federal,destinado aos Agentes comunitários de saúde,que hoje já è feito,através de portaria ministerial.

A implantação do Piso Salarial Nacional de R$ 950,00 reais (recurso já repassado aos municípios), reajustado anualmente,de acordo com as regras praticadas pelo Ministério da Saúde.

Deixando claro que não haverá IMPACTO FINANCEIRO para o Governo Federal com a aprovação deste projeto de Lei. 
A Frente parlamentar em defesa dos Agentes comunitários de saúde e dos agentes de combate às endemias,atualmente conta com o apoio direto de 185 deputados federais.Da Paraíba os que encabeçam essa frente destaco: Deputado Bejamin Maranhão e o Deputado Major Fábio.Essa frente é um instrumento de trabalho legislativo suprapartidário que vem unindo esforços ao lado da Confederação Nacional dos Agentes Comunitários de saúde (Conacs), sindicatos,federações estaduais e associações municipais todas unidas para lutar pelo direito da classe. 

A associação dos Agentes comunitários de PILAR, enviará representante para BRASÍLIA, para acompanhar todo processo no congresso nacional.

(Texto: Evanio Texeira)

terça-feira, 15 de outubro de 2013

PILAR E O ENGENHO DE ZÉ LINS



(Restauração da casa grande do Engenho Corredor, onde nasceu José Lins do Rego, está quase pronta para receber visitações) 


Após um contato por e-mail da escritora e historiadora Catarina Buriti, do Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTI), Campina Grande-PB, solicitando-me uma foto atual do Engenho Corredor, onde nasceu o escritor José Lins do Rego, para por na 2ª edição do livro didático "História da Paraíba", aprovado por duas vezes no PNLD e em processo de revisão, resolvi atender ao pedido cordial da nobre escritora paraibana, indo à minha terra natal Pilar, juntamente com meu amigo Marconi Lucena, do Blog Itabaiana Hoje, para fotografarmos o engenho de Zé Lins e alguns monumentos da terceira cidade mais antiga da Paraíba que comemorou este ano 255 anos de emancipação política.

O sol brilhava iluminando a paisagem onde outrora o menino de engenho brincava com os moleques da bagaceira. Um dia excelente para fotografarmos todo aquele universo imortalizado nas páginas dos romances do Ciclo da cana de Açúcar. Mas ao chegarmos ao engenho encontramos a porteira fechada por enormes cadeados. Falamos com o administrador e ele, educadamente, disse que o engenho estava em obras e que tinha determinação do proprietário para não deixar ninguém entrar. Então resolvemos fotografar, da margem da estrada, todo aquele cenário que nos encanta pela sua importância histórica e cultural. 

O que nos alegrou foi contemplarmos a casa grande com um ótimo aspecto, diferente das ruínas de alguns anos atrás, com previsão de ser aberta para visitações já a partir do próximo ano, em 2014. E as fotos? As fotos, graças a habilidade do fotógrafo e a boa resolução do equipamento, ficaram um maravilha! 


Depois voltamos para o centro histórico da cidade onde tiramos outras fotos, principalmente da Praça José Lins do Rego onde tem o busto do escritor. 



Resolvemos focalizar o que Pilar tem de mais bonito e que nem mesmo a ignorância de alguns administradores públicos tem apagado de sua história. 



Ao contemplarmos as fotos podemos confirmar que Pilar é uma cidade muito especial e que merece ser respeitada e admirada, não só pelos paraibanos e todos brasileiros, mas pelo mundo todo! 



Viva Pilar!!! Terra de encantos mil! 



Texto: ANTONIO COSTTA
Fotos: Marconi Lucena

Veja mais de 50 fotos de Pilar neste link: http://www.flickr.com/photos/marconiblog/sets/72157636597975495/



57


HINO OFICIAL DE PILAR

POEMAS EM DEFESA DO RIO PARAÍBA


Devemos valorizar nossos artistas enquanto estão vivos

Clique na imagem

MATRÍCULAS ABERTAS

MATRÍCULAS ABERTAS
NA SOFT WORLD INFORMÁTICA - EM ITABAIANA - FONE: (83) 9186-5519

MATRÍCULAS ABERTAS PARA OS NOVOS CURSOS DA SOFT (ASSISTA AO VÍDEO)

Galeria de Arte Antonio Costta