sábado, 4 de junho de 2011

ALGUNS COMENTÁRIOS NO BRASIL E NO EXTERIOR SOBRE A POESIA DO POETA PILARENSE ANTONIO COSTTA



Sendo Deus onipresente, bem o é na coletânea poética de Antonio Costta. Esta onipresença, quando não explícita, esconde-se entre os versos de cada um dos seus poemas. o autor pilarense ora, na poesia, com o louvor dos salmos e a graça do cântico dos cânticos. 

DAMIÃO RAMOS CAVALCANTI
(Da Academia Paraibana de Letras)
.................................................................................................................
Ler o poeta Antonio Costta é como ver do alto, do mais alto onde janela exista, as cenas do cotidiano. Não o dia-a-dia das visões invariantes dos olhos que a terra há de comer; mas os vislumbres da vida vistos com os sentidos da alma, com a religiosidade dos puros de coração ou até mesmo com a acerbidade dos que crêem na justiça e por ela clama através da verberante voz dos versos.

ODIR MILANEZ DA CUNHA
(Poeta - João Pessoa/PB)
.................................................................................................................

Gostei muito da musicalidade, do ritmo dos seus poemas, e também da diversidade dos temas, da maneira como você, desenvoltamente, incursiona nos meandros da condição humana. É, quase sempre, uma poesia social sem apelar para o panfletarismo, para o meramente tribunício.

SÉRGIO DE CASTRO PINTO
(Da Academia Paraibana de Letras)
.......................................................................................................
“Há poemas que deveriam ser espalhados por meio de
outdoors, muros e estabelecimentos públicos para que fossem lidos
e ficassem gravados na retina dos que, como eu, tem o privilégio de lê-los e absorve-los... Verde Que Te Quero Verde, de Antonio Costta, é um deles!”

PETRONEO PAES FRANÇA
(Poeta e escritor - São Paulo/SP)
.................................................................................................................

Nobre poeta, obrigado por nos banhar de beleza, por espargir em nós o enlevo dessa chuva... que vem do alto... que vem do eterno... que chove fecundando o nosso espírito... que afaga a nossa sensibilidade com pingos abundantes de estesia... que é Poesia!

RUBENIO MARCELO
(Da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras)
.................................................................................................................

Há um fazer poético abrangente em seu olhar sensível retratando o humano, o lírico, o contemplativo, trazendo à superfície a proximidade das essências de vidas na Arte da poesia.
É Poesia para o descanso do espírito e o mundo agradece!
Certamente, a Paraíba conta com mais um talento poético nascido em Pilar, terra de José Lins do Rego, chão de expressivos nomes da nossa cultura, que privilegiad
a, orgulhosa dos feitos de seus filhos, mostra ao mundo que em seu celeiro está o Poeta Antonio Costta, também fazendo história na literatura brasileira.

VILMA ORZARI PIVA
(Poetisa, escritora e educadora - Araras/SP)
...............................................................................................

Fazes uma poesia clara, autêntica, sempre eivada de muitas emo ções. Seja na linha espiritual-religiosa, seja no viés laico, é sempre a beleza que fala mais alto que a materialicidade dos versos, pois que há como um transbordamento de inspiração a cada estrofe, uma realização plena daquilo que chamamos de “enlevo” em teus poemas.
O teu acervo poético é parte de uma restrita e privilegiada parcela da
contemporânea produção literária, destinada a ser aclamada como patrimônio imate
rial da cultura em língua portuguesa.


Jorge Montenegro
(Brasília-DF)
.................................................................................................................


Passear sob a “Chuva de Poesias” do poeta Antonio Costta é deixar-se banhar na naturalidade de versos feitos de bons momentos e bons sentimentos. É molhar o coração em palavras sinceras e deixar-se levar por gotas feitas de uma inspiração simples a refletir de forma profunda as pinturas de um dia a dia com o qual todos podem se identificar.
Em sua poesia percorre-se o âmago do cotidiano, traduzido com beleza através de versos que transpiram doçura, gentileza e bondade. Em sua obra encontra-se um Mundo construído sobre alicerces firmes, pautado em princípios fundamentais de amor, respeito e fé.

GILCA PALMA
(Mestra em Ciências pela USP e diretora de P&D da Climatempo)
.................................................................................................................


Antonio cresceu e se entendeu de gente em comunhão profunda com a paisagem a seu redor, em meio às gentes do povo, na dura faina da roça, na escola da vel
ha palmatória, nas festas religiosas, nas procissões e nas cheias do rio Par
aíba do Norte que banha a sua Pilar natal – vivendo o mesmo mundo que marcou a vida e a obra do grande José Lins do Rego, seu conterrâneo.
Foi esse repositório de sensações e lembranças que tem virado matéria prima para a produção lírica de Antonio Costta, agora acrescida da temática de fu
ndo religioso, depois de sua conversão ao evangelho, como atestam os poemas de Poesia Cristã ( 2008).


VLADIMIR CARVALHO

(Cineasta e Documentarista)
.................................................................................................................





CHOVENDO POESIAS



Leio as lembranças leves de um menino
na Chã de Areia em busca do mel bruto.
Um menino que traz como atributo
a fé na formação de seu destino.

Cantos e preces de um poeta escuto,
como se fossem rezas ao Divino.
Vate que versa, em verso celestino,
o amor eternal e absoluto!

Acompanho o poeta na proposta
do puro da paixão que dele emana
- para cada pergunta uma resposta.

Dos laços de família eis o nirvana!
Eis o poeta puro, Antonio Costta!
Chove poesias sobre Itabaiana!

RONALDO CUNHA LIMA
(Da Academia Paraibana de Letras)

.................................................................................................................

EXCELSA POESIA

Nosso Antonio Costta traz
Na coletânea poética,
Uma depurada estética
De sonetos colossais.
São sentenças geniais
Que sua verve produz,
A musa que lhe conduz
Dormita em seu aconchego:
Da terra de Lins do Rego
Ao berço de Zé da Luz.

Busca pela transcendência,
Onde seu gênio se expande,
Arquiteta pelo Grande...
Executa na prudência;
Nos halos da inteligência
A sua musa irradia,
Tal qual uma sinfonia
Tendo a luz por diadema:
Eu vi em cada poema
De sua excelsa poesia.

Seu estro borbulha imerso
Em arte, sons e encantos;
Sente Deus nos quatro cantos
Das paragens do universo.
Ornamenta cada verso
Com essência, brilho e voz,
Com fulgência de mil sóis...
O Parnaso se ilumina
Com sua arte divina
Relíquia de todos nós.


OLIVEIRA DE PANELAS
(Poeta e Repentista – João Pessoa/PB)
.................................................................................................................

Nosso Costta tem essa qualidade
De ser firme na fé e bom poeta,
Um exemplo de artista e asceta
Traduzindo o idioma da bondade.

FÁBIO MOZART
(Poeta e Jornalista)
.................................................................................................................


“Na poesia, como na prosa, ler-te é viajar na tua mente, é conhecer
Pilar e a sua gente… que beleza, Santo Deus!
Esta tua antologia poética ultrapassará todos os limites, pelo
merecimento que tem, pelos ensinamentos que nos dá, pelo amor que
transporta… Deus abençoe essas mãos que vão juntando em palavras os
belíssimos poemas que encantam a tua vida e conosco partilhas!”

MARIA PETRONILHO
(Poetisa - Lisboa, Portugal)
.................................................................................................................

“Ao ler Antonio, a simplicidade do complicado é notável. A situaçãoquotidiana de não olhar ao que de melhor está ao nosso lado – de nãonotar a beleza de uma natureza que nos emoldura cada dia – desaparececom a poesia de Antonio. Nos seus versos, agarra e dá brilho a tudoisto: a chuva desta poesia, que limpa, que embeleza, que lava a alma.O ler envolve, e um bom escritor, poeta ou não, envolve quem o lê nassuas palavras.”

RICARDO BARRAS
(Poeta - Lisboa, Portugal)
.................................................................................................................

“Estimado poeta, quedo encantado con su lectura. La mente, como en un
sueño hace icursiones retrospectivas para llevarte a lo másprofundamente lírico de la infancia.Felicidades , por tan bellos, sencillos y estupendos versos en la feque muchos envidiarían si supiesen el valor que tiene... Sentir yhablar con ese halo celestial.Un cordial abrazo.”

RAFAEL ZAMBRANO
(Escritor - Espanha)

.................................................................................................................


“Antonio, escribes como todo un pàjaro poeta que ha encontrado de todoen su vuelo a todo el mundo. Ahì queda la constancia de tu vuelosentimental como el del pàjaro poeta, real, tierno, sencillo, sinningún rebuscamiento, a quien podemos acompañar fácilmente en sussentimientos, por la claridad con que escribes. 
Admirable en su sencillès y enorme fè que contagia.
Antonio Costta, es un Señor Poeta.”

ALMA VELÁZQUEZ DE LA MOURA
(Poetisa – Chihuahua, México)
.................................................................................................................


“Antonio, sinceras tus palabras, seguro que en el cielo
su ecollegará. La sinceridad es desde luego cuanto vale y más se aprecia sicuando se compone se logra la belleza del arte. Se nota en tus versoscomo escribes al detalle cuanto ese sentimiento más primario a tusojos salta a la vista. Siempre honesto eliges con tus palabras,comunicar sencillamente aquello que a la gente más conmueve.Un placer saludarte.”

LUÍS PÉREZ
 (Escritor – Espanha)
.................................................................................................................


“No deja de resultar sorprendente en estos tiempos en que casi todas
las esferas del pensamiento parecen moverse en torno al relativismomás feroz aparezcan hombres de letras que desde el campo de la Poesíase expresen desde convicciones profundas.Hombre de principios inquebrantables, Antonio Costta es un ejemploclaro de poeta entregado a su causa.Su obra pivota en torno a una visión humanista del mundo que le hatocado vivir y al que sirve con una sensibildad fuera de toda duda.Ejerce una poesia limpia y descontaminada, una poesía destinada allegar al corazón del ser humano mediante instrumentos líricos, enocasiones, muy próximos al misticismo clásico.Una poesía, en fin, que no puede dejar a nadie indiferente puesalcanza la fibra sensible del lector más imperturbable.”

VICENTE FERNANDEZ-CORTÉS
(Escritor – San Roque, Espanha)
.................................................................................................................

 
“CHUVA DE POESIAS”

Un libro de ANTONIO COSTTA

Debo comenzar, amigo ANTONIO COSTTA, negando tu afirmación de que eres un poeta aprendiz. Si ello fuera así, aprendices seríamos todos los que llevamos años entregados a este apasionante mundo de la poesía.
A pesar de mis dificultades con el idioma he leído con mucha fluidez “CHUVA DE POESIAS”, un libro que no puede dejar a nadie indiferente, con un verbo sublime y una cuidadísima música en las palabras.
Es una poesía auténticamente transparente que bebe en el acerbo de los mejores poetas contemporáneos, cuya influencia se deja ver con que refieres a asuntos transcendentes.
Es una poesía de luz y de compromiso con los pies en la tierra y la mirada en el cielo. Porque:

O amor é eterno
E efêmero é o ser!

Mantengo que la poesía no tendría sentido si el mundo fuera perfecto, que no habría poesía si el hombre no fuera un baúl de contradicciones. La poesía, el buen poeta como es caso debe abrir las heridas de las preguntas, hacer de su devenir una constante interrogación.
Te animo, amigo Antonio, a seguir en esta línea. Tiene un sitio en la poesía de habla portuguesa y sobre todo en el corazón de tus amigos, entre los que me cuento.
Un abrazo.

VICENTE MARTIN
(Poeta, escritor, professor na Universidade de Madrid, e diretor do fórum poético-literário em língua espanhola, o www.poesiapura.com).
..................................................................................................................


NA “CHUVA DE POESIAS”

Antonio
A poesia aqui corre calmamente como se corresse pela estrada afora...
Sente-se que corre para ser lida e ser apreciada, mesmo com chuva, com gotas grossas ou finas, e sentimos a sensação de Paz e de tranquilidade...
Que bom ter a oportunidade de ter entre os amigos um poeta tão puro.
Poesia é um estado de alma, é escrever o que sentimos e sem querer vemos que a poesia é simplesmente saber Amar e sentir que Deus também caminha por aqui.
Eu sei que a estrada é longa, mas sei que vais continuar a caminhar e a preparar novos caminhos com letras, muitas letras que vais misturando com Arte e que depressa surge... MAGIA.
Eu estarei aqui para te continuar a ler.
Um abraço fraterno.

LILI LARANJO
(Poetisa - Aveiro, Portugal)
.................................................................................................................



Mi querido Antonio, leer con calma tu obra y me ha gustado mucho, por la habilidad que tienes para sacar palabras que adornen tus pensamientos, con una sencillez encomiable y más que nada por ese acendrado amor a tu tierra y ese convencimiento en la palabra de Jesús, con el que coincido plenamente.
Ni que decir tiene que valoro en su justa medida la valentía que muestras destacando a Dios en un buen porcentaje de tus versos, cosa insólita en estos tiempos, donde la moda está en las antípodas, por mor de una progresía bien lejana al progreso.
Te deseo de todo corazón que el alumbramiento de tu libro sea todo un éxito y ojalá que este deseo coincida con la realidad.
Hice para la ocasión una décima en endecasílabos, la cual te adjunto, así como este fuerte abrazo.
Que Dios te bendiga, amigo mío.

Te puedo asegurar, Antonio Costta,que he sentido tan íntimo placercon la obra que acabo de leer,que quien haga lo mismo, se arregostay volverá a leerla más que aposta,por ser un fiel dechado de enseñanza,de bien hacer, belleza y esperanza,que deja en buen lugar la poesíay saca a relucir la valentíade un hombre, por tener buena crianza.

CRISTINO VIDAL BENAVENTE
(Poeta – Toledo, Espanha)
.................................................................................................................

“Grandioso y mistica tu poesia cuando sale del corazon habla y dibujala pureza del alma”.

YRAIMA ROSALIA PAEZ
(Valencia – Venezuela)
.................................................................................................................

¿Qué importa las tormentas 
De nuestra vida cotidiana? 
Dicen que el amor no existe? 
-Yo sueño con mi amor.

(ANTONIO COSTTA).

Existe toda una gran poesía mural que se interna en el océano del"sueño", el cual afecta de una manera increíble, toda la historia delhombre con su entorno cultural. Creo que es un verdadero pasillo entredos conciencias donde habita la parte más rica, creativa y "verdadera"del ser humano.Mi apoyo y un fuerte abrazo, amigo.

OSMANI LLOMBART
(Poeta cubano, residente em Miami)
..................................................................................................................



Antonio, tem sido uma satisfação para mim, descobrir a sua preciosa poesia tão bem elaborada, expressando a beleza de seus sentimentos.
Com muito carinho.

ANN LOUISE GORDON
 - Poetisa -
(Los Ángeles - Estados Unidos)
.................................................................................................................

Antonio
La poesía como antorcha encendida
se ilumina de una forma muy sentida
en tu bella inspiración.

Es un placer acompañarte,
Un abrazo.
Dios te bendiga.

Esther Gladys Noriega
(Argentina)

Reações:

0 comentários:

HINO OFICIAL DE PILAR

Devemos valorizar nossos artistas enquanto estão vivos

Clique na imagem

MATRÍCULAS ABERTAS

MATRÍCULAS ABERTAS
NA SOFT WORLD INFORMÁTICA - EM ITABAIANA - FONE: (83) 9186-5519

MATRÍCULAS ABERTAS PARA OS NOVOS CURSOS DA SOFT (ASSISTA AO VÍDEO)