terça-feira, 27 de janeiro de 2015

POETAS PILARENSES ANTONIO COSTTA E EVANIO TEIXEIRA TOMAM POSSE NA ACADEMIA DE CORDEL DO VALE DO PARAÍBA



Os poetas pilarenses Antonio Costta e Evanio Teixeira tomam posse na Academia de Cordel do Vale do Paraíba no dia 24 de janeiro, na Casa de Recepções Maison Finesse, em Itabaiana-PB. O primeiro é autor de vários livros de poesia, entre eles o cordel “A moça do coreto”. Evanio teve poema recentemente escolhido para constar na coletânea “Novos talentos poéticos da terra de José Lins do Rego”.




Antonio Costta terá como patrono o cordelista Francisco Firmino de Paula, nascido em Pilar a 2 de abril de 1911, tendo falecido no Recife em 3 de dezembro de 1967. Como todo cordelista da velha geração, Francisco era amante da arte tipográfica e da poesia popular, tendo construído sua própria impressora. Começou a escrever por volta de 1926. Dentre seus folhetos, destacam-se História do Boi Leitão ou O Vaqueiro que não Mente e O Herói do Ar.


Evanio Teixeira homenageia o poeta pilarense José Alves Pontes, que nasceu em 8 de fevereiro de 1920 e faleceu em 11 de novembro de 2009. Semelhante a Antonio Costta, José Alves tinha pais agricultores, trabalhou na roça até os 23 anos de idade. Com a morte do pai em 1948, veio morar em Itabaiana, onde arrumou emprego na tipografia “A Folha”. Foi aí que aprendeu a arte tipográfica. Em 1951 foi morar em Guarabira, passando a trabalhar na gráfica de outro importante cordelista, Manoel Camilo dos Santos. Depois, montou sua própria tipografia. Escreveu apenas dois folhetos: História de Geraldo e Silvina e Ronaldo e Antonieta, os quais tiveram grande sucesso, com milhares de exemplares impressos e várias edições esgotadas.




Poetas cordelistas da Paraíba, Rio Grande do Norte e Pernambuco fundaram a Academia de Cordel do Vale do Paraíba, sendo realizada a posse dos acadêmicos e da primeira diretoria neste sábado, 24 de janeiro, na Casa de Recepções Maison Finesse, em Itabaiana, com as presenças do Secretário de Cultura da Paraíba, Lau Siqueira, Presidente da Academia de Letras da Paraíba, Damião Ramos Cavalcanti, Secretário de Cultura de Itabaiana, Luciano Marinho, Presidente da Academia Feminina Paraibana de Literatura e Arte, Bernardina Freire, pesquisadores da cultura popular, a exemplo da professora Ana Almeida, de Sapé, e da poeta cordelista Sonia Gervásio, de Caruaru, entre outros admiradores dessa arte popular.
A entidade elegeu por aclamação como primeiro presidente o cordelista Sander Lee, secretariado por Fábio Mozart e tendo na tesouraria o poeta Antonio Costta. A assessoria de imprensa ficou a cargo do jornalista Dalmo Oliveira e Valdemir Almeida assumiu como Relações Públicas.


O Secretário de Cultura do Estado, poeta Lau Siqueira, aproveitou a ocasião para doar um violão para a escola de música do Ponto de Cultura Cantiga de Ninar, tendo recebido antes certificado de honra ao mérito cultura.


A nova casa da poesia popular será composta com 28 cadeiras. “Para mim foi uma grande honra ser empossado na Academia de Cordel do Vale do Paraíba, ocupando a cadeira nº 08, que tem como patrono o cordelista Francisco Firmino de Paula, o que só aumenta a minha responsabilidade em defender a cultura paraibana”, disse Antonio Costta.


Antes da solenidade de posse, os poetas repentistas Biu Salvino e Heleno Alexandre realizaram cantoria, com demonstrações dos diversos estilos e gêneros dessa arte, modalidades como a quadra, a sextilha, o mourão voltado e décimas. Para encerrar a noite dos poetas cordelistas, foi servido coquetel, e o grupo de música regional “Ganzá de Ouro” executou alguns números. 

Fotos: Ranys Ribeiro
Redação: Tribuna do Vale Online

Reações:

0 comentários:

HINO OFICIAL DE PILAR- cantado por José Cosmo de Souza

HINO OFICIAL DE PILAR - cantado por Jordânia Borges