terça-feira, 1 de junho de 2010

DAMIÃO CAVALCANTI E VLADIMIR CARVALHO SÃO HOMENAGEADOS EM PILAR



(ESCRITORES: REGINALDO ARAÚJO, DAMIÃO CAVALCANTI, ANTONIO COSTTA E O CINEASTA
VLADIMIR CARVALHO -
EM SESSÃO SOLENE NA CÂMARA MUNICIPAL DE PILAR)

O que têm em comum o escritor, nascido em Pilar, Damião Ramos Cavalcanti, e o cineasta de Itabaiana Vladimir Carvalho? No meio do caminho das cidades onde eles nasceram tem o rio Paraíba… Cenário das brincadeiras dos meninos, que se aventuravam nas águas nem sempre calmas, ele permanece nas memórias dos adultos, ao lado do universo dos engenhos e seus personagens, imortalizados na literatura de José Lins do Rego. E foi numa sessão especial, marcada pela emoção e a nostalgia, que a Câmara Municipal de Pilar realizou recentemente uma homenagem a Damião Cavalcanti e

Vladimir Carvalho. Acatando uma propositura do presidente da Casa legislativa, o vereador Wilton Pontual de Oliveira, foi entregue no dia 26 de maio a Comenda José Lins do Rego, sendo que Vladimir Carvalho recebeu ainda o ‘Título de Cidadão de Pilar’.

A noite começou com a execução do ‘Hino de Pilar’, seguindo-se os discursos do poeta e ex-vereador Antônio Costta; o secretário da Educação, pastor Linaldo Guerra; e o vereador Gabriel Alves de Brito. Todos eles lembraram a irmandade que sempre conjugou as cidades de Pilar e Itabaiana e destacaram a obra poética e as crônicas de Damião Cavalcanti e o documentário ‘O Engenho de Zélins’, de Vladimir Carvalho, como instrumentos necessários para que os mais jovens conheçam a história e reverenciem a memória cultural do agreste paraibano. “Nossa cidade precisa rejuvenescer a capacidade de luta. Pilar precisa de seus homens, das pessoas que fazem cultura”, revelou o vereador Pontual.

No momento em que recebeu a comenda e o título de cidadão, Vladimir voltou ao passado e relembrou a época em que morava em Itabaiana e visitava Pilar e seus engenhos. “Me sinto como aquele sujeito que atravessa a rua para abraçar o outro”, disse. “É como se vivesse, hoje, na velha Vila de Itabaiana de Pilar, assim descrita num documento de 1753”.


Já o discurso de Damião Ramos Cavalcanti trouxe à tona o seu tempo de criança. Nascido em Pilar, ele tomou banho no rio Paraíba, co

nheceu a magia do cinema na casa de seu Hélio Melo e viu andar pelas ruas, com sua roupa, chapéu e sapatos brancos, o ‘menino de engenho’ José Lins do Rego. “Esta é uma emoção cada vez mais revivida. Sempre no meu aniversário volto a Pilar, à casa onde nasci; à escola onde aprendi as primeiras letras e recitei pela primeira vez um poema”, revelou.


Outras homenagens – Durante a sessão da Câmara de Pilar, Damião Cavalcanti fez, ainda, uma menção especial ao escritor José Augusto
de Brito, que morreu recentemente, e à restauração do Engenho Corredor, cuja obra vem sendo executada pelos proprietários Alba e Joaquim Soares, com acompanhamento dos técnicos do IPHAEP – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico do Estado da Paraíba.


Segundo o vereador Wilton Pontual, Pilar é uma cidade cercada de riquezas. “Só precisamos divulgar mais; fazer com que os mais jovens conheçam estas preciosidades”, explicou o presidente da Câmara Municipal.


(Thamara Duarte, da Assessoria de Imprensa do Iphaep)

Reações:

0 comentários:

HINO OFICIAL DE PILAR- cantado por José Cosmo de Souza

HINO OFICIAL DE PILAR - cantado por Jordânia Borges